Mesmo com queda de casos e óbitos, SES alerta para Delta que é 6 vezes mais transmissível

Enquanto Mato Grosso do Sul segue liderando o ranking nacional de vacinação contra a Covid-19 com quase 50% da população imunizada, os indicadores da doença continuam com tendência de desaceleração. É o que mostram os dados referentes ao fechamento da última semana epidemiológica, que registraram o menor número de óbitos e também de novos casos do ano. 

Só no comparativo entre as últimas semanas epidemiológicas  a queda foi de 59,1% para os novos casos. São 1.767 casos da semana 35, contra 721 confirmados na semana 36 encerrada no último sábado (11) pela Secretaria de Estado de Saúde (SES). 

Os óbitos em decorrência de complicações pela doença também apresentaram declínio para o período. Na semana n. 36 foram confirmadas 48 mortes. No comparativo com a semana anterior, que teve 77, representa uma queda de 37,6%. A semana epidemiológica encerrou com taxa de contágio de 0.84, 1.824 casos ativos, 1.408 recuperados e taxa de letalidade em 2,6.

Mesmo com os indicadores em tendência de queda a secretária-adjunta da SES, Crhistinne Maymone fez um alerta. “Essa variante que já está em circulação no Estado possui transmissão muito superior as demais variantes, há estudos que indicam que ela é 6 vezes mais transmissível. Então devemos estar atentos. E isso significa: tomar a vacina, usar máscaras corretamente, higiene das mãos e evitar aglomerações. Não brinque com sua vida. A melhor vacina é não pegar a doença”.

Boletim diário

Nas últimas 24 horas a Secretaria de Estado de Saúde (SES) confirmou 155 novos casos no Estado, sendo a maioria deles na capital, Campo Grande, que conta com 136 confirmações de ontem para hoje. A média móvel de casos registrados na última semana é de 122, e a taxa de contágio está em 0.84. 

A semana iniciou com registro de 5 óbitos pela Covid, totalizando 9.468 desde o início da pandemia. Nos últimos 7 dias, cerca de 5,7 sul-mato-grossenses não resistiram à doença, conforme a média móvel. O indicador também é o menor já registrado em 2021. 

Mato Grosso do Sul conta com 1.185 casos ativos, sendo 169 hospitalizados. São 664 em leitos clínicos e 105 em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). A fila de espera por um leito SRAG/COVID conta com 7 pacientes. São 4 na Central de Regulação de Campo Grande, 2 na de Dourados e 1 na Central do Estado. 

A taxa de ocupação global de leitos por macrorregião está em 51% em Campo Grande, 57% em Dourados, 42% em Três Lagoas, e 47% em Corumbá. 

Atualmente existem 14 amostras em análise no Lacen e laboratórios parceiros e outros 1.133 casos sem encerramento pelos municípios. Confira aqui o detalhamento do boletim epidemiológico desta segunda-feira, 13 de setembro de 2021. 

MS sai na frente

Durante a live desta segunda-feira a secretária adjunta da SES, Crhistine Maymone, enfatizou que Mato Grosso do Sul vive um momento importante em que nacionalmente se discute sobre o represamento das cirurgias eletivas, enquanto no Estado já foi feito o planejamento para a retomada desses procedimentos pelo projeto Opera Mato Grosso do Sul e Examina Mato Grosso do Sul que vai ajudar os municípios a limpar as listas de espera.

“Estamos agora sintetizando isso e o programa já esta começando. SA partir dessa resolução e adesão ao programa, será possível ajudar os municípios a limpar a fila de espera. É claro que o projeto que faz parte da Caravana da Saúde ele vai lidar com a pandemia”, explicou. “É importante que nós neste momento tenhamos sabedoria, que significa o que eu posso fazer? Eu como cidadã posso fazer minha parte tomando minha segunda dose, usar mascara, álcool em gel e evitar situações de risco”.

24°C

Corumbá

Mostly Cloudy

Humidity 89%

Wind 6.44 km/h

  • 05 Oct 201831°C22°C
  • 06 Oct 201832°C22°C