Sanesul: Câmara reafirma posição por melhor serviço e redução de tarifa de esgoto

A Câmara Municipal de Corumbá mantém sua posição em torno das discussões para a renovação da concessão dos serviços de água e esgoto na cidade com a Empresa de Saneamento de Mato Grosso do Sul (Sanesul). Foi o que reafirmou nesta sexta-feira (13), o vereador e presidente do Poder Legislativo corumbaense, Evander Vendramini, após uma reunião com o presidente da empresa de saneamento, Luiz Carlos Rocha, e que contou com a presença do também vereador Luciano Costa.

“Foi um encontro em que o presidente nos apresentou um relatório de investimentos na cidade, mas a nossa posição continua. Só vamos aceitar a renovação da concessão se a Sanesul reduzir a tarifa de esgoto, colocar um ponto final nas constantes falta de água na área urbana, em especial na Região Sul, além de abastecer os distritos de Albuquerque e Porto Esperança com água potável, em condições de consumo humano”, reafirmou Evander.

A reunião com o presidente da Sanesul aconteceu na parte da manhã, no gabinete do presidente da Câmara. Na oportunidade, Luiz Carlos Rocha apresentou um relatório dos investimentos, principalmente em relação à ampliação da rede de distribuição de água para atender os bairros localizados na Zona Sul, parte alta de Corumbá.

Evander e Luciano Costa informaram que os serviços são importantes, mas que o processo de renovação da concessão passa pela ampliação desse serviço, já que as reclamações de falta de água são constantes na Região Sul, principalmente.

Conforme os dois, a Câmara somente vai se posicionar favoravelmente à renovação da concessão, com a melhoria da qualidade dos serviços de abastecimento de água e esgoto na área urbana de Corumbá, bem como nos distritos. “Caso isso não aconteça, a Câmara vai atuar pela municipalização do sistema”, reforçou Evander.

O atual contrato de concessão do sistema foi assinado em 1999, na administração do então prefeito Eder Brambilla, e vence em 2019. Desde o início do ano, os vereadores estão debatendo a questão, reivindicando principalmente a redução da taxa de esgoto que é de 70% sobre o valor da água, solução para o problema de falta de água na parte alta, e água potável para Albuquerque e Porto Esperança.

Outro tema em questão é o fim da cobrança da tarifa básica de consumo de água que é de 10 metros cúbicos. Pela Lei, a partir de agora, o valor cobrado será em cima do que a população realmente consome.

Em relação à taxa de esgoto, os vereadores alegam que Corumbá é uma cidade com grande percentual de famílias pobres e que não estão em condições de pagar o equivalente a 70% do valor da água. O presidente da Sanesul já sinalizou que o percentual deverá ser reduzido automaticamente para 50%, conforme critérios adotados pela empresa, tão logo seja renovado o contrato de concessão. A Câmara trabalha por uma redução maior ainda, de 30%.

Autor:
Assessoria de Comunicação