Na avenida do samba, Desfile de Fantasias reafirma toda sua tradição e atrai grande público

Muito luxo, criatividade, dedicação, esforço  e amor pelo Carnaval. Assim foi o primeiro Desfile de Fantasias promovido pela Prefeitura de Corumbá, por meio da Fundação da Cultura e do Patrimônio Histórico, na noite dessa quarta-feira, 20 de abril, na avenida General Rondon, a passarela pantaneira do samba.

“A Prefeitura escutou a população, uma cobrança antiga já, um sonho antigo, de querer que esse lindo evento fosse a céu aberto para todo o público poder conferir. Estudamos um jeito de fazer aqui na passarela do samba, foi um sucesso e com certeza será ainda maior nos próximos anos”, afirmou o prefeito Marcelo Iunes após os desfiles

“Ainda tivemos algumas falhas no horário, mas com certeza vamos melhorar isso nas próximas edições. Mas o mais importante foi a participação popular, as arquibancadas lotadas. E todas as fantasias estavam muito bonitas e mereciam o primeiro lugar, mas como em todo concurso só pode haver um mesmo. Então parabéns aos vencedores e todos que abrilhantaram essa linda festa”, completou o prefeito de Corumbá.

Na categoria Originalidade, desfilaram pela avenida Ariadma Paiva, Joyciane Bruno, Marcia Lins Cabeleireira, Pellucy Velmont, Enir Amarilha e Carlos Flores. O primeiro lugar ficou com Pellucy, com a fantasia intitulada “Um guerreiro feiticeiro”, confeccionada com galões, pena de faisão artificial de TNT, argolas de madeira, rolote, penas de galinha, penas de pato, papelão, cola de sapateiro, velcro e cetim.

“São 32 anos desfilando no Concurso de Fantasias, sempre com uma emoção muito forte. Quero agradecer a Fundação da Cultural,ao Joílson, ao João Batistas e as demais pessoas que sempre me apoiaram e estou aqui hoje, muito feliz. Essa ideia de desfilar na avenida foi maravilhosa, com certeza continuará por muitos anos com a gente”, afirmou a vencedora da categoria Originalidade.

Carlos Flores e Marcia Lins ficaram em segundo e terceiro lugar na categoria, respectivamente. Ele apresentado “Zamboá o último feiticeiro da tribo de Zambia” e ela com ” Rainha da sucata”.

Pela primeira vez desfilando no Concurso com o título de Hors Concurs, Rebecca D’Albine exibiu a fantasia “Terráqueos, estamos realmente sós?”, feita com com plumas, paetês, penas de faisão, pavão, chinchila e rignetes, broches e camafeus de cristais, lantejoulas em tons de vermelho, prata e dourado, tecidos brocados com gliter e bordados nas miçangas e vidrilhos e pedrarias em zircônia.

Pela categoria Luxo Feminino, as participantes foram  Waldirene Rodrigues, Érika Santos da Silva, Willy Weluma e Nadja Chouvet. “É muito gratificante. Eu desfilo já há 12 anos e vinha consecutivamente ganhando. Depois a gente tinha uma concorrente muito boa, que hoje é Hors Concurs, que é a Rebeca, linda que fazia um desfile maravilhoso”, afirmou Nadia, campeã com a fantasia “Na redenção da vida, os anjos dizem Amém”, confeccionada por Ranulfo Galleano.

“Hoje tive o privilégio de voltar para minha casa, Corumbá, com o prêmio de primeiro lugar. Essa fantasia vem na escola de samba Imperatriz e acho que Deus e minha fantasia iluminaram o carnaval nesta noite, estou muito feliz”, completou Chouvet. Valdirene Rodrigues, com a fantasia “Cabocla Jurema, Tributo a Oxóssi”, confeccionada por Valdir Gomes e Carlos Flores, ficou em segundo e Willy Weluma, com “Marine a Princesa da Profundeza do Oceano”, de Carlos Flores, em terceiro.

A segunda apresentação de Hors Concurs da noite foi de Valdir Gomes. Ele apresentou a fantasia “Sua majestade Xangô”, inspirada no Orixá Xangô, senhor da justiça, o rei de Oyó, e confeccionada em tecido de paetê degradê vermelho e prata, rebordada em strass e cristais irizados sobre tecido glicerinado ouro, detalhes de galões e pedrarias em vermelho, plumas, rabos de galo em tons do laranja ao vermelho, significando a realeza do rei de Oyó. Veludo cristal nos tons vermelho queimado, uma representação à nobreza do Orixá Xangô. A fantasia foi concebida pelo estilista Francis Fabian.

Já na categoria Luxo Masculino, o vencedor foi Luciano Alves Pereira, com a fantasia “A renascença do Pantanal. A criação mostrou o renascimento da vida pantaneira pós-queimada, o ressurgimento das matas e dos animais que conseguiram sobreviver a essa catástrofe. Para confeccioná-la foram utilizadas plumas, pedras preciosas, faisão natural, paetê, strass coloridos com acabamento de penas de pavão. Marcos Soledad, com “Rá (Deus do Sol)”, ficou em segundo.

Ícone do Carnaval de corumbaense, Fernanda Vanucci foi a terceira Hors Concurs a ganhar a General Rondon. Ela apresentou a fantasia “A mensageira de Ossaim”, confeccionada em tecido brocado, lorexpastilhado, pedrarias, E.V.A.gliterizado, acetato metaloide, galões metalizados, galões MM1, fios de paetês e lantejoulas, chatons, plumas e penas de pavão.

Fechando a noite, a categoria Luxo Especial foi vencida por Claudinho Tasso, que apresentou “O triunfal esplendor e glória do pavão real”, de Fernanda Cruz. “No Carnaval passado fiquei em terceiro e hoje cumpre 9 participações e 7 campeonatos. É maravilhoso representar minha cidade, meu povo”, afirmou Cláudinho. Viktória Lorraine, com “A imperatriz do universo”, de  Ranulfo Galleano, ficou em segundo e Douglas Marques de Melo, com ” Nzinga, a rainha de Angola e sua realeza africana”, foi o terceiro.

O Desfile de Fantasias terminou com a apresentação do Hors Concurs Adão Barboza. Ele apresentou “Do encanto à vaidade”, baseada na lenda européia que  o pavão era considerado um pássaro encantado, que vivia escondido nos jardins dos palácios imperiais dos monarcas daquele continente. Baseado nessa lenda, Adãozinho se inspirou na criação dessa belíssima obra prima que é esta fantasia, trazendo como alegoria um casal de pavões que retratam o enredo dessa lenda.  Para a confecção do traje foram utilizadas penas de pavão, strass, plumas, rabo de galo e pena de faisão.

Fotos: Gisele Ribeiro